Início arrow Noticias arrow Grupo Simoldes anuncia investimento de 20 milhões e contratação de 400 pessoas
Grupo Simoldes anuncia investimento de 20 milhões e contratação de 400 pessoas Imprimir E-mail

A Simoldes anunciou hoje um investimento de 20 milhões de euros num centro de testes para o grupo em Oliveira de Azeméis.

in Dinheiro Vivo / Lusa, 20-02-2018

images/stories/pdf2017/20180220183000478.jpg

 

A Simoldes anunciou hoje um investimento de 20 milhões de euros num centro de testes para o grupo em Oliveira de Azeméis e a contratação de 400 colaboradores este ano em Portugal.

Essa necessidade de recursos humanos resulta do plano de investimentos que o grupo tem vindo a concretizar nos últimos cinco anos e que, segundo António Rodrigues, fundador da marca, já se traduziu “num montante global de investimento de cerca de 140 milhões de euros” e será reforçado a nível mundial com mais 115 milhões em “inovação e globalização”, nomeadamente com “a abertura de novas unidades em Marrocos, Polónia, México, Espanha e Estados Unidos”.

Para melhor responder a esse crescimento, a Simoldes inaugurou hoje com o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, o Centro de Abate e Fresagem, um investimento de 36 milhões de euros, que vai concentrar num mesmo espaço todo o corte de aparas e limalhas, que até agora estava disperso por várias unidades do grupo.

O investimento incluiu a construção de raiz de uma estrutura com 3.000 metros quadrados, a deslocalização de máquinas que já antes estavam afetas a fresagem em outras unidades do grupo e a aquisição de novo equipamento para as fábricas que entretanto ficaram sem esses recursos.

Líder mundial no fabrico de moldes para o setor automóvel, a marca também lançou hoje a primeira pedra do Centro de Testes do Grupo Simoldes, unidade que vai custar cerca de 20 milhões de euros e deverá ficar operacional em finais de 2019, destinando-se a avaliar o desempenho dos produtos das várias unidades do grupo em ambientes que simulem as condições reais da sua utilização final.

O volume de negócios da Simoldes ultrapassa os 600 milhões de euros, mas a perspetiva de António Rodrigues é que, “com toda esta dinâmica e investimento, aliados a potenciais aquisições”, esse valor possa aumentar de forma significativa até 2023″. “Pretendemos alcançar no espaço de cinco anos um volume de negócios superior a 1.000 milhões de euros”, sublinhou.

Tendo na sua génese a fábrica homónima fundada em 1959, o Grupo Simoldes integra hoje 32 empresas em vários países, exibe “uma orientação exportadora direta e indireta de praticamente 100%”, lidera as exportações nacionais do setor ao absorver 20% das transações com o mercado externo e emprega “mais de 5000 colaboradores” em todo o mundo.

Para António Rodrigues, não se pode, por isso, esquecer “a vertente humana necessária para concretizar tal crescimento”, pelo que o comendador prevê “que durante o ano de 2018 sejam criados 400 novos postos de trabalho” nas unidades portuguesas do grupo.

Se também se considerarem as necessidades de recursos humanos das novas unidades que o Grupo Simoldes pretende abrir no exterior, o diretor comercial da divisão de moldes, Carlos Seabra, garante que em 2019 o número de trabalhadores atinja “seguramente 6.000 pessoas”.