Início arrow Noticias arrow TMG INVENTA NOVOS MATERIAIS PARA A INDÚSTRIA AUTOMÓVEL
TMG INVENTA NOVOS MATERIAIS PARA A INDÚSTRIA AUTOMÓVEL Imprimir E-mail

Estão já numa fase muito próxima da industrialização os protótipos de novos materiais plastificados, em cuja produção são incluídas fibras naturais, desenvolvidos pela TMG Automotive para a utilização em superfícies visíveis do interior dos automóveis.

in Jornal T, 29-11-2017

images/stories/pdf2017/20171129122300654t.png

As fibras naturais são uma forte tendência na indústria automóvel, refletindo a crescente preocupação com as questões ambientais. Os modelos elétricos da BMW já incorporam materiais reutilizáveis com fibras naturais não só na sua estrutura mas também nos painéis que forram o interior do habitáculo.

Os novos materiais são o resultado da investigação desenvolvida pela TMG Automotive no âmbito do projeto FibreInSurface, iniciado em 2015 com o apoio do Compete 2020 e que tem como objetivo desenvolver produtos inovadores de elevado valor acrescentado para a indústria automóvel.

“Com este projeto pretendeu-se incluir fibras naturais em materiais flexíveis para superfícies visíveis e tácteis do interior automóvel, com o desafio de cumprir as exigentes especificações associadas a estas áreas de aplicação”, explica Isabel Araújo, a engenheira química que é a responsável técnica por este projeto.

A investigação da TMG Automotive está a desenvolver materiais compósitos de matriz termoplástica, reforçados com fibras naturais (para o revestimento de painéis), ou com resíduos de fibra de carbono, reciclados e reutilizados, destinados a componentes estruturais de painéis.

“Há ainda algum trabalho a fazer até à completa industrialização, nomeadamente através de tecnologia de processo. A TMG continuará a trabalhar nestes materiais até que se chegue a uma solução viável com o objetivo final de os incorporar em automóveis, nomeadamente em carros elétricos, onde o conceito de sustentabilidade está mais presente”, acrescenta Isabel Araújo.

Cofinanciado pelo Compete 2020 com um investimento elegível de 460 mil euros, o projeto FibreInSurface é desenvolvido em parceria com a Fibrenamics.