Início arrow Notícias arrow Noticias arrow  Terceiro turno: Autoeuropa produz 600 carros por dia a partir de hoje
Terceiro turno: Autoeuropa produz 600 carros por dia a partir de hoje Imprimir E-mail

Esta é a resposta da unidade de produção do grupo Volkswagen à procura pelo veículo utilitário desportivo T-Roc.

in Dinheiro Vivo, Diogo Ferreira Nunes, 30-10-2017

A Autoeuropa vai produzir 600 carros por dia a partir desta segunda-feira, 30 de outubro. A fábrica de Palmela passa a funcionar em laboração contínua, com três turnos de trabalho, de segunda a sexta-feira. Esta é a resposta da unidade de produção do grupo Volkswagen em Portugal à procura pelo veículo utilitário desportivo T-Roc, que começará a ser vendido daqui a poucas semanas no mercado internacional. Esta mudança no horário poderá ter impacto nos trabalhadores da fábrica com filhos. No início de outubro, o Dinheiro Vivo noticiou que duas psicólogas estavam a ouvir alguns operários, ao abrigo do programa de apoio e intervenção social, para minorar os impactos na vida destes funcionários.

Este tipo de situações poderá ser agravado com o início do trabalho aos sábados, que está previsto para fevereiro de 2018 e cuja entrada em vigor depende de um acordo entre a administração e os trabalhadores. A gestão da fábrica e os representantes dos operários retomaram o diálogo na semana passada. Este é um passo importante para definir de que forma a Autoeuropa quer produzir 240 mil veículos em 2018.

Apesar de a administração ainda não ter apresentado uma nova proposta de horário de trabalho para responder à procura pelo veículo utilitário desportivo T-Roc, Fernando Gonçalves, o agora coordenador da comissão de trabalhadores, assumiu em entrevista ao Dinheiro Vivo, no início do mês, que “os Sábados na Autoeuropa têm de ser pagos como um dia extra” e não como um dia normal, mesmo que a semana de trabalho tenha cinco dias.

A Autoeuropa propôs há vários meses que a fábrica funcione seis dias por semana, com os funcionários a laborarem cinco dias por semana e direito a uma folga fixa, ao domingo, e folga rotativa a meio da semana. Só de três em três semanas teriam direito a dois dias de descanso consecutivos, segundo a proposta então apresentada. Em compensação, os trabalhadores teriam um pagamento adicional de 175 euros brutos para produzirem ao sábado – que conta como quinto dia de trabalho -, mais um dia de férias e ainda mais 25% do subsídio de turno. Estas condições chegaram a ser aceites pela maioria da anterior comissão de trabalhadores. Na votação em plenário, no final de julho, o pré-acordo com a administração foi chumbado por quase três quartos dos operários (74,8%).

É certo que a Volkswagen não vai desviar parte da produção do T-Roc para outras fábricas do grupo alemão, conforme garantiu Herbert Diess, CEO do grupo Volkswagen, no início de setembro. Resta saber qual será o futuro da Autoeuropa, sobretudo a partir de 2020, porque não está prevista, para já, a produção de mais modelos além dos monovolumes Sharan e Alhambra (marca Seat) e do T-Roc.

A fábrica de Palmela é a segunda maior exportadora portuguesa, contribuindo com cerca de 1% do PIB português.