Início arrow Notícias arrow Noticias arrow AFIA reúne Têxteis e Plásticos para debater estratégia setor
AFIA reúne Têxteis e Plásticos para debater estratégia setor Imprimir E-mail

Mais de 80 representantes dos subsetores interiores – têxtil e plásticos – estiveram esta tarde reunidos com a AFIA, no primeiro de vários encontros, para delinearem estratégias conjuntas de desenvolvimento

in AFIA, 05-07-2017

images/stories/pdf2017/esqueda para a direita_pedro carvalho da afia, tomás moreira presidete da afia e jorge castro da afia.jpg

A AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel – reuniu hoje na sua sede em Matosinhos mais de 80 representantes de empresas do Subsector Interiores (Têxteis e Plásticos), que representa mais de 25 % do peso total da indústria de componentes em Portugal, para em conjunto criar uma visão e uma estratégia comum para o seu desenvolvimento.

A indústria de fabrico de componentes para automóveis tem vindo a crescer e a assegurar a sua sustentabilidade de uma forma positiva devido às suas competências técnicas e de inovação, à boa qualificação e capacidade de adaptação da mão-de-obra e à cooperação entre empresas, universidades e centros de investigação e desenvolvimento.

images/stories/pdf2017/aspeto geral da sala_.jpg

As empresas investem continuamente em tecnologias inovadoras para obter automóveis mais seguros, tendencialmente autónomos, e soluções mais amigas do ambiente.

O sector está atento às evoluções e as empresas estão a tomar as decisões necessárias no sentido de se prepararem e adaptarem para as mudanças que se anunciam no médio e longo prazo no sentido de uma gradual substituição dos tradicionais veículos com motores de combustão por viaturas tendencialmente 100% eléctricas.

A par destes pontos fortes, foram identificados obstáculos que têm limitado o desenvolvimento do setor e prejudicado a competitividade das empresas:

A indústria portuguesa, periférica em relação aos seus principais mercados, está demasiado dependente dos transportes rodoviários e dos seus custos crescentes, que a penalizam duplamente - na importação e na exportação.

O excessivo preço da energia afecta a estrutura de custos das empresas e, em muitos casos, a qualidade do fornecimento da energia eléctrica provoca perdas e desperdícios.

Os níveis da fiscalidade, a previsibilidade das políticas públicas, a instabilidade da regulamentação, assim como uma justiça que não funciona têm sido em Portugal factores muito críticos, que afectam negativamente a confiança e o investimento.

O acesso aos fundos comunitários foi também apontado como uma área de potencial melhoria para o desenvolvimento e aumento de competitividade do setor. Em muitos casos os critérios de elegibilidade penalizam as candidaturas da indústria transformadora.

Este sector confronta-se com uma necessidade constante de modernização, pelo que se alerta para a urgência de maior apoio a nível da inovação e processos adjacentes, assim como a redução da complexidade das candidaturas, período de apreciação e de decisão de projetos.

Nas zonas mais industrializadas do País regista-se - a somar à escassez crónica e generalizada de quadros técnicos intermédios - uma preocupante falta de mão-de-obra a todos os níveis e uma inflação salarial superior aos ganhos de produtividade.

A flexibilidade laboral continua a ser um fator preocupante para o setor automóvel, sendo necessário optimizar na legislação laboral todos os instrumentos que permitam, em tempo útil e sem custos extra, responder às flutuações de atividades imprevistas.

A precariedade laboral não é uma escolha dos empresários mas sim uma consequência dum mundo precário em rápida mutação, duma economia globalizada extremamente concorrencial e de mercados voláteis nos quais as empresas exercem a sua actividade.

images/stories/pdf2017/tomás moreira, presidente da afia.jpg

Num trabalho constante de defesa e divulgação do setor a nível nacional e internacional, a AFIA acredita que estes encontros entre as empresas são fundamentais para que de uma forma organizada e sintonizada se consiga tornar o setor dos componentes automóveis mais competitivo e apelativo.

Neste sentido estão já programadas novas iniciativas e encontros de trabalho, garantindo uma grande proximidade às empresas e uma atuação mais eficaz na defesa dos seus interesses e necessidades.

 


 

Apresentação da AFIA

 

Apresentação do CITEVE / CeNTI

 

Apresentação da ALMA DESIGN

 

VEJA AQUI AS 238 FOTOS DO ENCONTRO

(será direccionado para o Flickr)

 


 

COMUNICADO DE IMPRENSA - ficheiro pdf