Início arrow Notícias arrow Noticias arrow Bosch regista vendas recorde de 1,1 mil milhões de euros em Portugal
Bosch regista vendas recorde de 1,1 mil milhões de euros em Portugal PDF Imprimir E-mail

A Bosch, empresa líder no fornecimento de tecnologia e serviços, registou em 2016 em Portugal vendas recorde de 1,1 mil milhões de euros, ou seja mais 18% do que um ano antes. Em 2016 a Bosch criou mais de 400 novos postos de trabalho em Portugal, mais de metade dos quais para perfis altamente qualificados de engenharia.

in Jornal Económico, 18-05-2017

A Bosch, empresa líder no fornecimento de tecnologia e serviços, registou em 2016 em Portugal vendas recorde de 1,1 mil milhões de euros, “incluindo vendas de empresas não consolidadas e entregas internas a empresas afiliadas”.

Isto traduz uma subida de 18% quando comparado com os números registados em 2015. “No mercado local, a Bosch Portugal teve um ligeiro decréscimo relativamente ao ano anterior com vendas de 211 milhões de euros”, diz a empresa em comunicado.

“Estamos a reforçar a nossa presença em Portugal com soluções de elevada qualidade e inovadoras, soluções essas que não são apenas produzidas mas também pensadas e desenvolvidas localmente”, afirma Javier González Pareja, Presidente do Grupo Bosch em Portugal e Espanha na nota.

“As unidades portuguesas estão a trabalhar com tecnologias de produção conectada em tópicos chave para a Bosch tais como cidades inteligentes, casas inteligentes e soluções de mobilidade. Desta forma, a Bosch está a definir o futuro – isso vai ajudar-nos a expandir ainda mais as nossas atividades em Portugal”, acrescenta González.

Em 2016 a Bosch criou mais de 400 novos postos de trabalho, mais de metade dos quais para perfis altamente qualificados de engenharia. “Esta expansão do número de colaboradores demonstra a confiança na competência dos portugueses”, diz a empresa em comunicado.

Com perto de 4.000 colaboradores (a 31 de dezembro de 2016), a Bosch é uma das empresas que mais emprega em Portugal. “Os planos são de continuar a recrutar em 2017, consolidando a sua posição como um dos principais empregadores no país”, diz a Bosch que ficou no TOP20 das empresas mais atrativas para trabalhar em Portugal no “Employer Brand Research 2017”, desenvolvido pela Randstad.

A Bosch continua a ser um dos maiores exportadores de Portugal, exportando mais de 95% da sua produção para mais de 50 países em todo o mundo. Tendo em conta os resultados do primeiro trimestre de 2017, a Bosch espera crescer de forma significativa em Portugal.

Em 2016 o Grupo Bosch investiu cerca de 100 milhões de euros em Portugal com destaque para os projetos de I&D em Aveiro e Braga, e a expansão das três fábricas no país.

“A Bosch considera que o contínuo investimento em atividades de I&D e produtos inovadores são parte essencial da estratégia para reforçar o negócio em Portugal”, avança a empresa que anuncia que tem “perto de 500 engenheiros altamente qualificados, a Bosch tem uma das maiores equipas do país completamente dedicadas a projetos de I&D, trabalhando em casas inteligentes e soluções de mobilidade conectada”.

“Em Braga, mais de 300 engenheiros trabalham no desenvolvimento e produção de soluções inovadoras de multimédia automóvel e sensores para veículos de duas e quatro rodas. Para além disso, a Bosch está a potenciar ainda mais a sua capacidade inovadora ao estabelecer uma parceria com uma das principais universidades no país: com o apoio de investigadores da Universidade do Minho que trabalham em equipa juntamente com engenheiros da Bosch, a empresa está a contribuir para o desenvolvimento de soluções de mobilidade conectada. No total, mais de 550 engenheiros altamente qualificados trabalham exclusivamente neste projeto, tanto na Bosch como na Universidade”, refere o comunicado.

“Para 2017, e à luz de uma perspetiva económica moderada e de incerteza geopolítica, a Bosch pretende alcançar um crescimento no volume de vendas entre três e cinco por cento. Apesar dos investimentos significativos para salvaguardar o futuro da empresa, espera-se que os resultados cresçam”, avança a companhia.

“O sucesso empresarial de hoje dá-nos margem para moldar o mundo de amanhã”, disse o Dr. Volkmar Denner, Presidente do Conselho de Administração da Bosch.

“Como líder em inovação, estamos a moldar e a conduzir a transformação”, acrescentou

A chave para isto é a inteligência artificial (AI). Nos próximos cinco anos, a Bosch vai investir 300 milhões de euros no seu próprio centro de inteligência artificial.