Início arrow Notícias arrow Noticias arrow Introsys: “Crescemos pela rentabilidade que a inovação nos proporciona”
Introsys: “Crescemos pela rentabilidade que a inovação nos proporciona” PDF Imprimir E-mail

Luís Flores, CEO da Introsys não tem dúvidas: as empresas não crescem pela inovação, mas antes pela rentabilidade que esta proporciona.

in ECO economia online, por Elisabete Felismino, 15-05-2017

Para o fundador da Introsys, uma empresa portuguesa que atua no setor da automação, enquanto fornecedora de sistemas de controlo para a indústria automóvel, “as empresas crescem pela rentabilidade que a inovação proporciona“.

A empresa — que trabalha para marcas de prestígio como a Volkswagen, a BMW, a Ford, Audi, Seat e que fechou 2016 com 18 milhões de euros de receitas — tem na investigação o seu ex-líbris. Luís Flores adianta: “No nosso caso, a inovação e a organização são fundamentais”.

Para trás ficam os anos mais difíceis da empresa, de 2002 (ano de arranque) até 2009. Até porque o mercado para onde trabalham é altamente conservador à entrada de um novo player. Mas em 2005, a Volkswagen abriu-lhes as portas. A que se juntou em 2010, o novo Q3 da Audi. No entretanto, Luís e o irmão Nuno Flores perceberam que gerir bem era uma premissa importante e montaram uma gestão profissional.

O sucesso veio depois. Hoje exportam 98% do que produzem e têm a Alemanha como principal cliente, sede dos principais clientes. E é através desses clientes que se têm expandido para outros horizontes como por exemplo o México, e a Índia. “Exportámos de acordo com os nossos serviços”, detalha Luís Flores.

Para 2020, a Introsys estima um volume de faturação de 24 milhões de euros.