Início arrow Menusfixos arrow COMPETINOV
COMPETINOV Imprimir E-mail

COMPETINOV 

COMPETINOV - Estudo da Arquitectura Prospecto-Estratégica de Competências para a Inovação do Sector Automóvel

O Competinov – Estudo da Arquitectura Prospecto-Estratégica de Competências para a Inovação do Cluster Automóvel, em particular o da indústria de componentes, decorreu entre 01 de Fevereiro de 2004 e 31 de Janeiro de 2005.


Objectivos

O grande objectivo deste estudo/acção Competinov passa pela definição das competências chave a desenvolver nos quadros superiores do cluster automóvel para que se consiga conquistar o melhor dos futuros possíveis, ultrapassando problemas previstos e optimizando as oportunidades dadas pelos desafios igualmente previstos.

Constituem objectivos gerais do estudo:

  • Reforço da empregabilidade e da inserção profissional;
  • Elevar o nível de qualificação e promover o emprego e a coesão social nos sectores e cluster em causa;
  • Facilitar a articulação de políticas inteligentes de formação e emprego, por forma a reforçar a competitividade e a coesão social;
  • Criar condições disseminadoras de informação crítica e útil que favoreça a inovação;
  • Criar dinâmicas informacionais sinérgicas nos diferentes níveis da cadeia de produção do cluster automóvel, no sentido da incorporação e desenvolvimento de boas práticas inovadoras;
  • Necessidades de formação sobre os conhecimentos e competências chave a desenvolver no cluster automóvel, que permita às entidades formadoras uma maior adequação das acções de formação necessários para o sector nos próximos anos;
  • Evitar a deslocalização da indústria de componentes do sector automóvel;
  • Captar as novidades, aprender e renovar o stock do saber mais rápida e consistentemente do que os concorrentes internacionais do cluster automóvel, como única vantagem competitiva sustentável num mercado em que a incerteza e o caos são a única constante;
  • Incentivar a criação de novos produtos e serviços através da potenciação competencial;
  • Desenvolver acções de divulgação, informação e sensibilização junto de PME`s, quanto aos objectivos do projecto, promovendo a geração de externalidades positivas e efeitos multiplicadores;
  • Criar uma ferramenta que facilite um mais fácil e certeiro, investimento na formação de diplomados em áreas-chave para a renovação do tecido empresarial; Incentivar a fixação de competências nas unidades de I&D;
  • "Contribuir para a renovação da capacidade competitiva do tecido empresarial e produtivo", facilitando a "oferta consistente de efectivos diplomados, dotados de competências dirigidas aos factores críticos de competitividade", determinados pelo estudo proposto;
  • Facilitar uma ferramenta de efeitos práticos para diferentes instituições de apoio ao cluster, na formação de competências de suporte à Inovação;
  • Proporcionar informação sobre as necessidades de formação para o desenvolvimento de conhecimentos e competências capacitadoras da conquista do reforço da competitividade assente numa visão de futuro de maior produtividade e inovação no cluster automóvel;
  • Facilitar a exploração de novas fronteiras para o cluster automóvel;
  • Apoiar a definição de desafios empresarias que concentrem a atenção de todos, nas próximas vantagens ou recurso chave a ser desenvolvidos.

Parceiros:

  • AFIA - Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel
  • Idea Factory - Serviços às Empresas, Unipessoal Lda.
  • TecMinho - Associação Universidade-Empresa para o Desenvolvimento

Recomendações

Tendo em consideração o conjunto dos resultados apurados, podem-se extrapolar um conjunto de recomendações para o contexto geral do futuro e das competências-chave a desenvolver, que podem ser vistas como um ponto de partida para a discussão e reflexão integrada subsequente:

  • Focalizar prioritariamente o desenvolvimento das competências-chave para a conquista pró-activa do futuro, nos sectores que apresentam indicadores de maior atractividade, em termos de quantidade e qualidade de empresas, assim como no que respeita ao número de funcionários - "sector dos fabricantes de acessórios para veículos com motor";
  • Os esforços de formação orientados à alavancagem do cluster, dever-se-ão centrar nas zonas geográficas do Porto, Aveiro e Lisboa, uma vez que é nestes distritos que se encontra a melhor atractividade empresarial, que por consequência, implicam redes de relações interempresariais mais consistentes. Sendo nestes distritos onde se encontram os nós das redes que correspondem às empresas em melhor situação económica-financeira, poder-se-á tentacularmente exponenciar os resultados dos esforços de formação;
  • Relativamente aos distritos de menor atractividade, a abordagem deverá ser de elevação global das competências, não numa perspectiva de alavancagem, mas de ancoragem aos sectores e distritos com maior atractividade, minimizando os seus pontos fracos;
  • Os empresários devem pensar estrategicamente o desenvolvimento das competências-chave internas tendo em consideração a integração e alinhamento: da sua realidade; das competências indicadas a nível global pelos empresários do seu sector; pelas competências identificadas pela inteligência global (nacionais e internacionais); e as competências globais por área;
  • As instituições associativas (empresariais), associações representantes do cluster, centros de I&D, organismos públicos, CRC, entre outras, poderão servir-se desta referência do futuro e das competências-chave para o conquistar, para adequarem as suas ofertas formativas e outras, às necessidades que derivam desta informação;
  • As entidades formadoras e instituições de ensino técnico e superior devem, a partir das prioridades em termos de competências-chave identificadas para o futuro, e em consonância com as estratégias e visões dos empresários, desenvolver conteúdos formativos que permitam a adaptabilidade da formação às prioridades do futuro;
  • As diferentes instituições de ensino deverão ter por base, para a arquitectura dos seus conteúdos programáticos, as competências-chave orientadas para o futuro apresentadas no presente estudo, que permitam o desenvolvimento de ferramentas cognitivas, não só para conquistar o futuro, como por inferência resolver os problemas que daí advêm;
  • Os recém diplomados devem, ao aceder a este conteúdo informacional e intelligence, colocar as suas prioridades de formação e aquisição de know-how, nas áreas e competências-chave definidas pela inteligência global do cluster;
  • Necessidade de alinhamento das visões do futuro dadas como prioridades pelos empresários nacionais, face aos centros de decisão internacionais;
  • Criação de novos precedentes sob a forma de contacto directo, entre os empresários nacionais e as instâncias internacionais do cluster;
  • Necessidade de cooperação entre os diversos empresários ligados ao Cluster Automóvel Português, de modo a tornar os dados da inteligência global em inteligência partilhada para a acção;
  • Dada a inexistência de alinhamento das visões sobre o futuro e das competências-chave para o atingir, entre os empresários portugueses e os experts internacionais, torna-se premente a busca de informação e conhecimento constantes sobre estas realidades e a discussão e interrelação entre os diversos elos da cadeia de valor nacional e internacional;
  • Necessidade de criar uma rede de disseminação de informação e conhecimento críticos entre os empresários nacionais do Cluster Automóvel Nacional, que poderá ser potenciada pela utilização do fórum que será lançado na fase de disseminação de resultados deste Estudo;
  • Necessidade de criar espaços de relacionamento e busca de informação junto dos centros de decisão internacionais, para que o alinhamento não seja esporádico, mas contínuo.