Início arrow Menusfixos arrow Evolução Histórica
Evolução Histórica PDF Imprimir E-mail



Início da Actividade (Anos 60)

  • Imposição da montagem de veículos com uma incorporação nacional mínima de 15%, incorporação essa que se pretende seja crescente.
  • Legislação em vigor não permite produção de séries rentáveis. Com efeito, há 19 Linhas de Montagem (LM) que chegam a montar algumas dezenas de modelos diferentes.
Voltar ao topo

Caracterização do Sector (Anos 70)

  • Elevado nº empresas
  • Empresas de pequena dimensão
  • Gama de produtos muito diversificada por empresa
  • Pequenas séries
  • Mão de obra intensiva
  • Mercado nacional
  • Investimento estrangeiro reduzido
  • Especialização no sector automóvel reduzida

 

Voltar ao topo

 

Reenquadramento do Sector - 1979

  • Entrada em vigor da Lei Quadro do Sector, nº 351/79, confirmada pelo Protocolo com a C.E.E., já que houve consciencialização que a facturação desta actividade poderá vir a ter um inegável efeito na Balança Comercial e deverá ser este o Sector motor da industrialização do país
  • Instalação em 1979 da Renault

 

Voltar ao topo

 

Caracterização do Sector (Anos 80)

  • Redução do nº Empresas
  • Aumento da dimensão das Empresas
  • Concentração da gama de produtos
  • Aumento da dimensão das séries
  • Maior investimento em Capital intensivo
  • Mercado externo
  • Elevado Investimento estrangeiro
  • Aumento do nº de Empresas especializadas

 

Voltar ao topo

 

Caracterização do Sector (Anos 90)

  • Internacionalização e Globalização das Empresas
  • Maior intervenção em I&D dos produtos e processos
  • Flexibilização da produção
  • Estabelecimento de parcerias e joint-ventures

 

Voltar ao topo

 

Reestruturação do Sector - 1994

  • Fabrico de automóveis insuficiente, existindo uma grande absorção dos produtos importados
  • Evolução positiva do parque automóvel em densidade e idade
  • Instalação em 1994 da AutoEuropa

 

Voltar ao topo

 

Actualidade

  • N.º de empresas: ±200 Empresas
  • Volume de emprego: 46.500 Trabalhadores directamente afectos (7% do emprego total da indústria transformadora) 
  • Volume de Negócios: 9 mil milhões de euros (5% PIB) 
  • 13% das exportações nacionais de bens e serviços: 7,6 mil milhões de euros
  • Principais obstáculos:
    • Carência de recursos afectos em I&D
    • Dimensão empresarial
    • Ausência de uma nova cultura empresarial
    • Pouca flexibilidade da lei laboral
    • Falta de apoio incondicional da Administração Pública
  • Principais forças:
    • Competência técnicas
    • Existência de multinacionais
    • Historial exportador
    • Custos salariais relativamente baixos
Voltar ao topo